Jair Bolsonaro diz que testou positivo para o coronavírus

Bolsonaro: presidente fez pronunciamento nesta terça-feira, 7 (Adriano Machado/Reuters)

 

O presidente Jair Bolsonaro testou positivo para o novo coronavírus, segundo informou em entrevista concedida nesta terça-feira, 7.

O presidente fez o exame após apresentar sintomas da covid-19, como febre de 38ºC, cansaço e dor muscular. Ele disse que começou a sentir os sintomas no domingo, 5, foi para o Hospital das Forças Armadas em Brasília e realizou o teste.

O presidente informou, ainda, que a equipe médica ministrou a ele um coquetel de coloroquina com azitromicina, apesar de não existir comprovação cientifica de sua eficácia. “Estou tomando as doses e confesso que estou perfeitamente bem”, afirmou Bolsonaro.

Durante a entrevista, ele também voltou a defender o uso da cloroquina preventiva e disse que “estaria muito bem” se tivesse começado a tomar antes de contrair a doença. Um novo estudo divulgado nesta semana com 55 mil pacientes mostrou que essa medicação não previne a covid-19.

Ele negou que não ficará em repouso, mas vai despachar do Planalto e realizar reuniões virtuais pela próxima semana. Bolsonaro desmarcou a viagem que tinha marcada para a Bahia.

Na noite desta segunda-feira, 6, ele disse a apoiadores que fez também um exame nos pulmões. “Eu vim agora do hospital, fiz uma ‘chapa’ de pulmão. Tá tudo limpo. Vou fazer exame do covid agora, mas tá tudo bem”, afirmou ele em frente ao Palácio da Alvorada.

Apesar dos sintomas, Bolsonaro despachou ontem durante todo o dia e esteve com seis ministros. Ele teve reuniões com os ministros Paulo Guedes (Economia), Braga Netto (Casa Civil), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Levi Mello (Advocacia-Geral da União).

Essa não é a primeira vez que o presidente faz testes para detectar a covid-19 Ele já se submeteu a três exames em março, após voltar de viagem oficial aos Estados Unidos, onde se encontrou com o presidente Donald Trump. Pelo menos 23 pessoas da comitiva brasileira foram diagnosticadas com a doença.

Na ocasião, Bolsonaro anunciou que os resultados foram negativo, mas se recusou a mostrar os exames. Os documentos foram divulgados depois de o Estadão entrar com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF), para obrigar que informação fosse divulgada para a sociedade brasileira em nome do interesse público em torno da saúde do presidente.

 

Fonte: exame.com

0 Comentários