​Comentário: Hong Kong não é um peão de manobras de alguns políticos estrangeiros