Comentário: A intenção dos EUA não passa de perturbar Hong Kong para impactar o desenvolvimento da China