Comentário: China e EUA precisam de mais interesses comuns nas negociações comerciais