Comentário: China e França são defensoras do multilateralismo