Comentário: Consulta econômica e comercial China-EUA está nas “horas extras”

O presidente norte-americano, Donald Trump, recebeu nesta sexta-feira (22) na Casa Branca o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He. Liu também é enviado especial do presidente chinês e líder da delegação chinesa para diálogo econômico sino-norte-americano. Trump disse que a presente rodada de consulta econômica e comercial de alto nível alcançou grande progresso, mas ainda tem pela frente muitos trabalhos. Por isso, a reunião foi prolongada para mais dois dias.

Esta é a primeira extensão desde o início da consulta, mostrando que a negociação entre dois países está na fase mais crítica e difícil, apesar dos grandes progressos. Para realizar os importantes consensos alcançados pelos Chefes de Estado, as equipes econômicas e comerciais dos dois países estão trabalhando nas “horas extras”.

Depois de quase um ano de atrito comercial, especialmente após o encontro entre dois Chefes de Estado na Argentina, os dois países já mostraram grande vontade de chegar a um acordo. Como mencionou o presidente chinês, Xi Jinping, a China e os EUA são dependentes economicamente e a cooperação é a melhor opção. Ao longo de um ano, cada vez mais fatos provaram a observação do líder chinês.

No último mês, a China e os EUA já realizaram três rodadas de consulta econômica e comercial de alto nível, com duração mais longa e frequência mais alta. Isto também mostra os esforços dos dois lados para alcançar os consensos dos Chefes de Estado.

Os EUA e a China são as duas maiores economias do mundo, a questão econômica e comercial envolvendo os países é complicada. Já estamos quase no final de 90 dias de prazo de negociação. Mesmo difícil, os dois lados devem persistir até o fim. O presidente chinês, Xi Jinping, disse na mensagem ao colega norte-americano esperar que ambos os lados possam chegar ao acordo de benefício recíproco. E Donald Trump disse também que o acordo tem muito significado para ambos os países e que está disposto a se encontrar com o presidente chinês mais uma vez no futuro próximo. Sem dúvida, as afirmações dos Chefes de Estado injetaram mais energia às equipes de negociação, mesmo nas “horas extras”.

0 Comentários