Comentário: Olhar para o Oriente leva a Rússia a ver novas rotas de evolução