Comentário: Refutação aos disparates dos políticos britânicos sobre Hong Kong